Ontem me senti extremamente lisonjeada… meu artigo foi copiado!! Sei que isso quer dizer que o conteúdo está realmente bom. Que gostaram tanto, que mereceu um CopyPaste. Mas mesmo assim, não posso escrever no meu curriculum: artigos escritos para a lista DG que tem sido muito copiados, não dá né?

Vou brincar com o personagem do colega Paulo Loyola… que coisa feia, Zezinho!! Como um puxão de orelha. Quais livros você leu sobre o tema, quando em sua vida passou por situações semelhantes às do texto? Artigos são textos tão pessoais, que é como se roubassem uma página do seu diário…

Geralmente escrevo assuntos que fazem sentido com o meu dia-a-dia, meus projetos e que possam vir a inspirar e ajudar outros profissionais. O problema é que se trata de conteúdo intelectual produzido especificamente para o site da DG, dar créditos ao texto é a atitude ética que se espera de qualquer profissional com o mínimo de discernimento.

Já vi muitos sites inspirados pelo meu conteúdo por ai. Na verdade, isso mostra que a comunicação está sendo eficaz. Essa é a intenção: inspirar a galera, trazer aquele ar fresco para a cabeça de vocês… Ajudar a todos os criativos a criar mais e melhor. Mas com créditos, por favor!!

Carol Hoffmann (@carolhoffmann)