6 minutos

Bem, acho quando fiz o primeiro post sobre cobertura em tempo real o pessoal não entendeu que era pelo twitter que isso seria feito. E foi, na medida do possível.

Agora vamos as minhas impressões sobre o famoso TMDG.

Bom, primeiro de tudo sou um desiogner de produto que fica cada dia mais distante da atividade de Design como a maioria de nós foi adestrado para entender, e mesmo assim nunca fui muito fã de design gráfico, acho que a capacidade de influencia e solução de problemas reais é bem baixa – design gráfico não vai curar a aids, nem o cancer, nem acabar com a fome no mundo, face it boys. Como um amigo meu – que é designer gráfico dos bons definiu – a atividade não passa de arte capitalista hj em dia. Essse é o fato. Os melhores designers gráficos são ótimos artistas patrocinados por grandes marcas.

Sendo assim vou falar do Trimarchi Design Gráfico baseado no que ele se foca, as palestras grandiosas.

Buenas.

Primeiro Dia.

La Cocina

Os caras são bons. Já estão um passo além do simples artista gráfico e abrangem estratégia de marca de uma maneira aparentemente bem completa. Pelo q pude notar na pele são bem fortes por lá, no curto periodo de tempo q passei na Argentina vi muitas coisas q receberam o toque deles.

Em um case que apresentaram a criação de identidade para um leite achocolatado mandaram muito bem na pesquisa que mapeou a realidade do usuário final – crianças – e dos influenciadores/compradores (no caso, os pais) e suas percepções do produto. Abordagem no quesito design de personagens bem interessante, não achei o resultado final tão bom assim, mas era validado pelo processo como um todo.

Palestra boa, em vários momentos conseguem ir além do mais trivial.

Estudante selecionado – não vi, fui comer um chorupan.

Intervalo.

Mopa

Os caras são de Brasília e apesar da tradução simultânea trash mandaram bem.

Primeira coisa que difere da maioria das apresentações oba-oba do TMDG é que falaram bastante sobre o próprio processo, foram além de só mostrar imagens e receber palmas.

Com um estilo de trabalho bem característico, como processo e como resultado, me parece que eles ficam focados, talvéz até demais, em uma só linha estética. Com certeza isso funciona enquanto a “moda” estiver em sintonia com o trabalho que eles gostam de desenvolver, resta saber o que vai acontecer quando a maré mudar.

Eu boto fé neles, até pq pelo que sei eles já tomaram a sábia decisão de deixar a administração ( leia-se atividades administrativas ) nas mãos de um profissional da área e podem se focar no que são bons. Sábia decisão a meu ver.

Atypica

Pelo que entendi é a ABC Design deles. Não vi a palestra, acho q fui bater papo por ali, tava meio cansado…

Nomad Ink

Também não vi, mas o pessoal é daqui de Curitiba, se esbarrar nos eventos da vida pegunto o que eles acharam de lá.

Buenas Noches Trimarchi

Festerê do evento. Nada de muita novidade além da festa ter muitos ambinetes (uns 8 acho).

Segundo Dia

Estudante selecionado – também não vi.

Psyop

Responsáveis por animações fenomenais para vários video clipes e comerciais de marcas gigantescas, como o clássico fábrica de sonhos da Coca-Cola. Se enquadram bem no que falei sobre artistitas do capitalismo.

Intervalo

The UncoolHunter


Cara. Um dos pontos altos. Em um evento onde o clima é de puro “ieié, somos o ápice do senso estétido que afirmação do que é legal e está na moda” vem um pessoal rir do ridículo que pode ser isso, e o mais rídiculo, quando aparecem as coisas bizarras que todos tiram sarro e acabam virando moda, como bigodes hj em dia.

O que me lembra “TRENDS QUE É TRENDS NINGUÉM ENTRENDS“.

Naveguem no site, é muito divertido. Se já era engraçado ver a foto da sua tia de sombra azul nos anos 80 mais ainda é ver que sua filha pode um dia trilhar no memso caminho.

HORT


Cara. Melhor de todas.

O dono, proprietário, CEO e principal colaborador do HORT, escritório de design sediado na Alemanha que passeis em projetos relacionados a música e entretenimento, além DE MUITA PIRAÇÃO.

Sério.

Como um product guy não simpatizo muito com os projetos de design gráfico que para uma pessoa que se esforça em manter a acuidade artística o mais fraca possível tudo parecia sem sentido nem lógica.

Sem brincadeira, muita piração, extrapola minha compreensão.

Gostei muito das idéias do Eike Koenig, muito mais do que dos trabalhos do escritório. O cara tem uma postura muito interessante e positiva sobre a vida e sobre empreender. Não é um cara preocupado em parecer o mais legal nem ser idolatrado pela galera, abre o jogo e demonstra uma postura que difere demais do estrelismo que reinava no evento como um todo, coisa fina.

O Armando Fontes upou várias partes pro You Tube.

Palestra Hort no youtube.

Intervalo

Marian Bantijes

Ela manda muito bem, altas tipografias e tecnicas muito apuradas.

pena q a palestra não foi muito além do que vc pode encontrar encontrar no site dela…

Festa

Nesse dia a festa foi mais animada com uma pistra brasileña onde rolou de samba rock a pono funk.

As arrentinas gostaram.

Terceiro Dia

Estudante selecionado – não vi

Fileni Fileni

Não vi. Acredito que não tenha perdido muita coisa.

(não ter visto essas atividades prova que a noite anterior foi realmente boa).

Intervalo.

Joshua Davis

Extremamente ShowMan.

Segundo a conta do Pedro Oliveira foram 4 Red Bulls durante a palestra, como se ele precisasse… o cara é extremamente estriquinado de nascença, ou isso ou cheirou muito antes de se apresentar.

Legal dele é que abriu bastante o processo de desenvolvimentos de suas ilustras onde usa muita programação aliada a boa e velha micragem vetorial que acaba gerando um resultado q vai do extremo matemático a outro extremo de espontaneidade, coisa finíssima e uma loucura.

Falou bantante da importancia de se conhecer outra sculturas e outros pontos de vista. Pelo q vanho lendo em antropologia é bem lógico isso e explica um pouco do pq, por exemplo, o Hans Donner fez sucesso no Brasil. O cara que vem de fora vem com um outro olhar e sabe perceber nuances de comportamento e expressão que já passam batidas pra quem está inserido na cultura.

Armando Fontes gravou boa parte da palestra, confiram.

parte 1 parte 2 , parte 3 , parte 4 , parte 5, parte 6, parte 7 e parte 8

OBS:. Esse Joshua é a cara do nosso famoso Jonas Rossatto. É um jonas daqui 15 anos, digamos. hahaha.

Mesa Redonda

Era o espaço com todos os palestrantes e onde se esperava que sugissem as perguntas do público. A interação era mínima e tudo muito confuso. Não entendi patavinas do que estava acontecendo e resolvi que era hora de dizer adeus ao pessoal do evento, ir pro hotel arrumar as coisas, torrar os últimos pesos num bar e dar o TMDG por encerrado.

Nofinal acho que pode ser uma experiência bacana um TMDG. Não pretendo repetir, não acho que seja o ambiente de evento que eu gosto, essa coisa de ir ver palestra e bater palmas pros caras lá no palanque, mas foi válido.

Fica aqui um parabéns pro pessoal do TMDG que conseguem fazer um evento gigante q ainda cresce a cada ano, mas a observação para o cuidado e o pedido de que procurem inovar, fazer um evento além de palestra/festa.

Buenas.

Distribua