O CMS está ganhando o mundo, oferecendo métodos eficazes e simples de produção na web. Se, num momento anterior, a parte do desenvolvimento de um site trazia uma série de dores de cabeça ao pobre desenvolvedor freelancer que se habilitava a fazer o projeto completo por alguns trocados a mais (ou, quando não conseguia,se via obrigado a dividir os mínimos trocados com algum pobre programador…), hoje não é mais um problema indissolúvel.

CMS pra quem tem fome

Conheço uma série de projetos de sites dinâmicos que contaram somente com profissionais de design em sua concepção, devido a facilidade trazida pelo modelo CMS de produção. Sim, é verdade: tudo está pronto, pré-configurado, funcionando super bem, sem maiores problemas. Nada de noites sem dormir, debruçado sobre aquele livro gigantesco de php!

Ah, se fosse assim!

Pois é, o mundo disneyano acima não existe. Pelo menos, não da forma como foi descrito. É fato que tudo está mais simples, mais fácil. Porém, dizer que o programador é dispensável e que os conhecimentos de PHP ou de qualquer linguagem de servidor não são necessários é, no mínimo, uma grande heresia.

Qualquer profissional envolvido com um projeto com CMS, sabe o quanto deve conhecer a estrutura da linguagem de programação, da maneira como o sistema adotado funciona, para poder ajustar e customizar o layout, mantendo sua funcionabilidade intacta.

Customização: E agora, José?

Estava tudo muito lindo. Poucos cliques e um belo sistema de busca, de comentários, de comércio eletrônico surgiam na sua frente, prontos, funcionais. Pois é, você, como bom designer, começa a olhar e encontra uma série de soluções estéticas capengas, em completa desarmonia com a proposta e o conceito geral de seu cliente. Então, respira fundo e decide: customizarei!

Confira o final da saga no próximo post. Um abraço!